GREVE
07/09/2021 11:38 em GREVE DOS CAMINHONEIROS
Alguns caminhoneiros planejam bloquear trechos de rodovias no dia 7 de setembro como parte das manifestações. Mas isso não significa que será deflagrada greve, afirmam líderes da categoria. Segundo eles, os caminhoneiros que falam em paralisação a partir de 7 de setembro não têm influência decisiva. Essas lideranças, contudo, não descartam uma greve nacional mais tarde, ainda em 2021, mas por outras razões e que nada tem a ver com o ambiente político.
Para caminhoneiros que vão participar dos atos de rua do Dia da Independência, não é hora de defender manifestação com cunho político. Segundo eles, a principal pauta das manifestações do próximo dia 7 é a defesa da liberdade de expressão, o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o voto impresso auditável.
Mas há muito tempo a categoria reclama de vários pontos que afetam o seu dia a dia: principalmente o baixo valor do frete e o preço alto dos combustíveis. Esses fatores econômicos têm sido os principais ingredientes para uma possível greve – e que também podem estimular bloqueios de rodovias na semana que vem.
A pauta do 7 de setembro é a defesa da liberdade de expressão, a troca dos 11 ministros e o voto auditável”, diz Odilon Fonseca. Ele também defende que ministros não sejam indicados pelo presidente da República, fiquem apenas oito anos no cargo e sejam todos juízes de carreira concursados. E ele afirma que isso tem de ocorrer de forma democrática, por meio de um processo de impeachment feito pelo Senado, como manda a Constituição, não por uma intervenção militar.
“Ninguém é contra o Supremo. Só é contra o que os ministros estão fazendo com a Constituição. Por que ela não é cumprida como se deve? Por que mudam o entendimento da Constituição para o beneficiário bandido?”, afirma Odilon.
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!